©‎2019 GRUPO GESTUS | Co-desenvolvido com Índio Medeiros

Voltar

22/11/2019

Braseiros e Canaviais estará no

Moving Beyond Coloniality

1/1

LOCAL

Londres - Inglaterra

SOBRE O EVENTO

Este ano, o PoP [Performances do Popular] MOVES, em parceria com a Universidade de Roehampton, vai para Londres! Outrora o centro do Império Britânico, hoje esse centro multicultural se tornou um destino procurado para aqueles que procuram questionar criticamente e superar os sistemas de opressão de longa duração.

 

Ir além da colonialidade convida artistas, estudiosos e ativistas nos campos da dança e das artes cênicas que pensam e trabalham em todo o popular para nos ajudar a navegar na difícil tarefa de articular diálogos descentralizados em diferentes aspectos da produção artística e da bolsa de estudos, e sua disseminação em contextos globais .

 

Em resumo, o que significa que uma prática ou performance de movimento popular seja emancipatória, transgressora ou de outra forma atue como uma forma de resistência? Para quem? E, o mais importante, como as táticas e estratégias centradas no movimento nos permitem, como Marcus M. Garvey Jr. declarou, "emancipar-nos da escravidão mental"?

 

O grupo de pesquisa internacional de performances do popular acolhe propostas que investigam formas inovadoras de pensar, mover e interagir, seja no currículo do ensino médio no Reino Unido, performances de rua na Cidade do México, programação teatral nos EUA, financiamento estatal para as artes em São Paulo ou audições em Pequim.

 

O grupo objetiva incentivar a tarefa mais ampla de ouvir vozes reprimidas pelo lado mais sombrio da modernidade (ocidental) - isto é, colonialidade (Quijano 2000, Vazquez, 2012) e lançar uma nova luz sobre as idéias e habilidades negligenciadas ou apagadas de (Santos, 2007). Da mesma forma, convidamos discussões pós-coloniais e decoloniais que questionam, por exemplo, a construção discursiva de dicotomias excludentes, como Ocidentais versus (outros) Performances Mundiais / Globais ou divisões de "estúdio" e "rua", cujas fronteiras fixas reforçam o abismo racial imaginado entre eles (Savigliano, 2009).

 

Implementando o conceito de pensamento de fronteira, a conferência procura expor as táticas e estratégias que se infiltram nos escudos e delimitações da colonialidade, esticando-as, desfocando-as ou perfurando-as. O amplo escopo da categoria “popular” e sua diversificada associação com práticas populares, populares, comunitárias, de rua, urbanas, encenadas e mediadas, o tornam um espaço único para contestação, inovação e emancipação.

O espetáculo Braseiros e Canaviais será apresentado por Gilsamara Moura e Denny Neves na abertura do evento.

LINKS